nho Resistente Existencial: (1711) Para além do populismo

Resistente Existencial

Extractos irónicos e provocantes acerca de política, sociedade, media, cultura e do umbigo de um desalinhado anjo caído.

sábado, junho 04, 2005

(1711) Para além do populismo


   ...a leitura do que se passa com o vencimento/reforma de alguns ministros tem de passar pelo seguinte:

      a) Há um significado político óbvio em querer moralizar-se o sistema político e ao mesmo tempo usufruir-se de benefícios legais e legítimos que surgem como injustificáveis aos olhos da sacrificada população, especialmente no momento actual. Deveria ter ocorrido ao Governo que este regime também não é justo. Consequentemente legislaria o seu término. Quanto muito, e porque as pessoas não têm de perder direitos adquiridos (que devem, dentro dos limites da razoabilidade, ser mantidos) nem fazer "votos de pobreza" só para se marcar um ponto político, teria de haver muita pedagogia. Para já, o Governo fez pouca e tarde. Mas acredito que Sócrates saiba dar a volta ao assunto.

      b) A remuneração dos políticos tem directa correlação com os resultados que se apresentam. Se, daqui a quatro anos, o país estiver pronto a sair da crise, ninguém se importa que o responsável por isso receba muito. Pelo contrário, os salários até podiam aumentar, no sentido de tornar os cargos políticos apetecíveis aos melhores. Cada euro a mais deve ser acompanhado de responsabilização adicional. Como tal não tem acontecido, cria-se o ambiente propício ao abuso de uns e ao populismo de outros.
Site Meter
A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
  • Livro de Reclamações:

  • nunopinho(AT)vianw.pt

    (Substituir (AT) por @)