nho Resistente Existencial: (1391) Maternal

Resistente Existencial

Extractos irónicos e provocantes acerca de política, sociedade, media, cultura e do umbigo de um desalinhado anjo caído.

quinta-feira, fevereiro 24, 2005

(1391) Maternal


   Como sempre, visitei a minha avó. Cada vez que o faço, fico um bocadinho mais impressionado. Ela é alguém que ainda trabalha, já a caminho dos 80 anos (como muitas pessoas do Norte rural, ri-se quando se fala de reformas adiadas...), e que criou toda a "offspring" da família. Cozinha há mais de 50 anos e ainda não comprou uma máquina de lavar louça. Lembro-me perfeitamente que as refeições naquela casa (onde estive um ano num interlúdio entre os quatro infantários e jardins-escola que frequentei) eram sempre compostas por mais de meia dúzia de pessoas. Agora, a idade começa a vencer a batalha, como inexoravelmente acontece. Vejo a minha avó a definhar lentamente, no meio de uma casa que antes tinha um ar especial por ser antiga, e agora é apenas fria e escura. Mais que o avançar da idade, é o isolamento que vai fazendo maior mossa. Durante o meu crescimento, ela foi sempre a minha figura maternal por excelência, e portanto custa saber que ainda não tenho condições para a ajudar como gostaria. Estaremos condenados à solidão?
Site Meter
A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
  • Livro de Reclamações:

  • nunopinho(AT)vianw.pt

    (Substituir (AT) por @)