nho Resistente Existencial: (740) Blogo Noticioso - 18-10-04

Resistente Existencial

Extractos irónicos e provocantes acerca de política, sociedade, media, cultura e do umbigo de um desalinhado anjo caído.

segunda-feira, outubro 18, 2004

(740) Blogo Noticioso - 18-10-04


   I - PSD e CDS Preocupados em Evitar Leituras Nacionais - É comprensível perante a derrota. Mas há uma leitura que irremediavelmente fica, por comparação: pela segunda vez e consecutivamente, a coligação PSD/PP não só perdeu, como teve menos votos que concorrendo separadamente em eleições anteriores. A derrocada avança.

   II - Dezenas de Prisioneiros de Guantanamo sujeitos a abusos continuados - Tudo em nome de Deus, da Pátria e da luta contra o terrorismo. Se estes são os polícias do mundo, não é de admirar que os criminosos sejam tão maus.

   III - Fenprof: mais de 4.000 erros na última fase de colocação - Continuo a perguntar. É esta equipa que vai realizar os próximos concursos?

   IV - Confusão na sala de Imprensa - Não é só na Madeira que há circo.

   V - U.S Anglicans told to apologise in gay bishop row - Vá lá, não os excomungaram...

         

   VI - "Gato fedorento" no palco do Tivoli em Novembro - Informa ainda a notícia que sairá um DVD com todos os episódios do "Gato Fedorento" que passaram na Sic-R e que estes humoristas são responsáveis pelos textos do "Herman Sic". Fiquei espantado. Como é possível a mesma equipa escrever coisas tão boas e outras tão más?


Para reflectir


Tempo de Coniventes Sem Cadastro , por Graça Franco

A Lusa mandou a 7 de Outubro um telex para as redacções com as declarações de Cavaco Silva lamentando o afastamento de Marcelo. Passados poucos minutos um novo telex chegava a corrigir o anterior. A magna alteração introduzida era a seguinte: no primeiro parágrafo, onde se escrevia "afastamento" passava a escrever-se agora coisa mais neutra, ou seja, "saída". Mas Cavaco não falava de saída, mas de "afastamento", palavra que passava a só constar entre aspas no segundo parágrafo. Sem contaminar a linguagem do jornalista. Não sei de quem foi a ideia da magna correcção. Talvez do próprio jornalista, "não fosse o chefe...", ou do chefe, "não fosse o director...", ou do director, "não fosse o ministro...". Ou seria do próprio ministro, para garantir rigor dos serviços tutelados? Valha-nos Deus!

O Carrossel Mediático , por Fernando Ilharco

Os media procuram quaisquer crises para ganhar audiências e rentabilizar as empresas. A notícia de fundo, que é verdade hoje, foi ontem e será amanhã, é a notícia do momento. O momento foi o escolhido como critério da relevância. Por isso, discutimos acaloradamente isto hoje e amanhã aquilo. Esta abundância de histórias, ao criar escândalos sucessivos e contínuos, gera a irrelevância. A velocidade a que os desenvolvimentos e as novas histórias se sucedem conduz à paralisia, ao "voyeurismo" e ao alheamento. A variedade de perspectivas e os complementos da história principal, ao transformarem-se em "zapping", provocam a confusão estrutural entre o essencial e o acidental. E como se não bastasse, toda esta forma, formal que era, tende a tornar-se em substância.

A Batalha, por Hermínio Santos

Na semana que passou ninguém do Benfica e do Porto se portou com decência. Ainda hoje estamos para saber de quem foi a culpa de tanta confusão. Vieira acusa Pinto da Costa, Pinto da Costa arrasa Vieira. Não há isenção, todos perdem a cabeça por causa de uma bola. O campeonato só agora começou mas com uma Liga de Clubes sem autoridade, clubes rivais sedentos de sangue, árbitros sem categoria e dirigentes à procura de uma glória eterna o cenário promete ser de turbulência. Quando um dia chegar outra vez o apocalipse - já aconteceu no Jamor com um very light mortal - todos vão sacudir a água do capote e pedir um rigoroso inquérito.
Site Meter
A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
  • Livro de Reclamações:

  • nunopinho(AT)vianw.pt

    (Substituir (AT) por @)