nho Resistente Existencial: (722) José Manuel Fernandes

Resistente Existencial

Extractos irónicos e provocantes acerca de política, sociedade, media, cultura e do umbigo de um desalinhado anjo caído.

sexta-feira, outubro 15, 2004

(722) José Manuel Fernandes


   ...publicou hoje um editorial a meu ver pleno de desonestidade intelectual, exibindo uma posição tremendamente intolerante face à homossexualidade. Sobre a controvérsia que tem envolvido Rocco Buttiglione, o candidato de Barroso para comissário europeu da Justiça e dos Assuntos Internos, afirma o seguinte:

Buttiglione, sem abdicar das suas convicções, não pretende impô-las aos que delas discordam. Basta notar no que disse perante a Comissão que, pomposamente, chumbou o seu nome (um chumbo não vinculativo): primeiro, explicou que sabia "distinguir entre moralidade e lei", o que implica que "muitas coisas podem ser consideradas imorais sem terem por isso de ser proibidas"; depois, com lógica, acrescentou que podia "considerar que a homossexualidade era um pecado sem que isso implique que querer criminalizá-la". Afinal, "o Estado não tem o direito de meter o seu nariz neste domínio".

   Ora a lógica não colhe. Se Buttiglione, apoiado nas suas convicções (religiosas ou não) estivesse contra o casamento entre negros, ou contra o voto das mulheres, JMF teria de achar na mesma que este poderia lutar pela igualdade e tolerância, só porque ele diz que sim. A lógica invertida já não deveria agradar muito ao director do Público. Imaginemos que um comissário defendia pessoalmente a proibição do culto religioso, mas comprometia-se a não fazê-lo. Alguém daria um cargo de responsabilidade a essa pessoa?

   JMF acrescenta ainda que o governo italiano, por mais detestável que seja, ganhou eleições e pode nomear que quiser, e não aqueles que os derrotados querem. Há aqui uma confusão propositada, demonstração de desonestidade intelectual: é que os membros do PE foram todos eleitos, ainda há bem pouco tempo, e a sua recusa do comissário é legítima. Enfim, um editorial muito infeliz, especialmente vindo de alguém inteligente e influente como JMF, que faz a apologia duma discriminação racional e baseada na ideia que todos são iguais, mas alguns mais que outros.
Site Meter
A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
  • Livro de Reclamações:

  • nunopinho(AT)vianw.pt

    (Substituir (AT) por @)