nho Resistente Existencial: Outubro 2004

Resistente Existencial

Extractos irónicos e provocantes acerca de política, sociedade, media, cultura e do umbigo de um desalinhado anjo caído.

domingo, outubro 31, 2004

(842) Banda Sonora para Depressões de Domingo


Lemon Tree

I'm sitting here in a boring room
It's just another rainy Sunday afternoon
I'm wasting my time, I got nothing to do
I'm hanging around, I'm waiting for you
But nothing ever happens -- and I wonder
I'm driving around in my car
I'm driving too fast, I'm driving too far
I'd like to change my point of view
I feel so lonely, I'm waiting for you
But nothing ever happens, and I wonder
I wonder how, I wonder why
(...)

Fools Garden

(841) VISTO - Alien vs. Predator


   "Disclamer": este filme não tem nada que ver com a saga "Alien" e bastante pouco com os filmes "Predator". Relaciona-se sim com títulos como "Resident Evil", "A Múmia" ou "Tomb Raider" (aliás, tem algumas cenas cómicas que se batem com a famosa cena do tubarão). Por isso, não vão enganados. Os bonecos que conhecemos (ou quase, estes são CGI de duvidosa qualidade) estão lá, mas podiam ser outros quaisquer. Dito isto, é preciso dizer que não é um filme isento de diversão, muito provavelmente porque não se leva demasiado a sério. Ou então leva e eu é que não estava muito preocupado porque não paguei bilhete. Se tivesse pago, se calhar saía deprimido.

   

   Como esperado, o filme é um balde de pipocas grande cheio de tontice. Os diálogos são realmente maus e a "storyline" segue a lógica série B. sem surpreender por um segundo. Os efeitos especiais são bocejantes e a direcção técnica tosca (para onde foi a luz?). Os fãs da mitologia, principalmente de "Aliens" (mais evocada), vão manter-se no suspense para rever os queridos monstros e a tal leveza do filme ajuda a que o tempo passe numa amena folia. Não posso dizer que não me ri, ou que sofri imenso. Nada disso, é perfeitamente agradável comer as pipocas e ver "Aliens" a esventrar "Predators". Mas nada mais. Ah, dizia-se no fim da sessão que a série "Scary Movie" devia aproveitar esta matéria preciosa. O B. já tem título e tudo. "Whoever Wins, We Don't Care". O L., para os mais politizados, dizia que estávamos perante uma possível metáfora das eleições americanas. Durante o filme, temos de tomar partido pelo menos mau dos adversários, tal como nas eleições. Adivinhem quem é que foi escolhido...

   Alien Vs. Predator, de Paul W.S. Anderson - *1/2 estrelitas (medíocre)

(840) Happy Halloween



Stephane Peray

(839) Um número


   ....que vale por mil palavras:

70%

da população portuguesa com 15 ou mais anos não foi uma única vez ao cinema em 1999.

(838) Para Reflectir


Um Sonho, por António Barreto

Com esta Constituição, a União perde flexibilidade e capacidade de adaptação. Os países, os Estados e os povos com ideias, problemas e preocupações diferentes dos da ortodoxia imposta por umas grandes potências ou pela ditadura do sistema, só têm agora uma de duas soluções: obedecer ou sair. Quer isto dizer que nos preparamos para viver sob chantagem permanente e sempre à espera de que forças centrífugas ponham em causa os excessos de uniformização e a cada vez mais insuportável distância entre a vida política e a vida dos cidadãos.


Vencer Os Teledebates, Perder as Eleições?, por Mário Mesquita

Se Kerry, segundo as sondagens e os comentaristas, venceu os debates televisivos, Bush deverá ganhar nas urnas. Estranho paradoxo, à primeira vista. Numa análise mais atenta, porém, a questão clarifica-se: os teledebates jogaram-se com base na argumentação, enquanto as eleições se disputam num terreno em que predominam os sentimentos de insegurança, medo e angústia predominantes na sociedade norte-americana após o 11 de Setembro.
Nesta campanha, a desinformação converteu-se na medida de todas as coisas e a escolha do Presidente da principal potência mundial equivale a avaliar quem é o mais duro comandante das forças armadas para prosseguir uma guerra desencadeada à revelia dos principais aliados europeus(...)



Obituários Apressados da Clivagem Esquerda-direita (II), por André Freire

Por exemplo, com o bem estar e a paz do pós II Guerra, na Europa e EUA, surgiram novas prioridades políticas entre as populações, sobretudo os jovens e as "novas classes médias", tais como o pós materialismo e as orientações "libertárias", que têm renovado a agenda da ("nova") esquerda: defesa da qualidade de vida, de maior participação dos cidadãos na tomada de decisões, dos direitos das minorias (étnicas, sexuais) e das mulheres. Na sequência, surgiram as respostas da "nova direita": indivíduos e forças com orientações materialistas e "autoritárias" vieram defender a necessidade de líderes fortes, de mais "lei e ordem", de mais direitos para os nacionais face aos imigrantes, de menos liberalização cultural. Muito provavelmente, após o 11 de Setembro de 2001 terá havido um refluxo do pós materialismo e das orientações "libertárias", pois a política molda-se às condições contextuais...

(837) Bom Dia



Nélio Freitas

(836) Good Night Post


A morte aceita-se melhor no fim do verão
quando o teu corpo era uma árvore
a hesitar entre o outono
o musgo seco, sussurraste, é um tapete,
descalça-te, despe-te
traz um livro para leres
este ano o outono apareceu muito inclinado
não te parece? gostava de te dar agora
os últimos beijos
depressa! Diz tudo o que não disseste
mas não te esqueças
esmaga a minha cabeça entre as tuas mãos
como prometeste.

Manuel Afonso Costa

sábado, outubro 30, 2004

(835) "Sure Vote"



Angel Boligan

(834) Revista C


   ...C de Colombo, publicação de anúncios com uns textos que vinha ontem com o jornal que comprei. Mesmo quando ia a deitá-la fora, folhei-a e descobri uns artigos interessantes. Por exemplo, em entrevista mútua, Marcelo Rebelo de Sousa confessa ler na diagonal (menos literatura) e Ana Sousa Dias ser uma pessoa "stressada". E ainda havia um texto sobre a blogosfera. Enfim, nem toda a publicidade é má.

(833) Sob Escuta


   Kluster - Kimmo Pohjonen

   

   Para descobrir: "Keko";
   Afinidades: Gotan Project; Kronos Quartet.

(832) Momento Caras/Bizarro

(831) Blogo Noticioso 30/10/04


   I - Relatório Admite 100 Mil Vítimas Civis no Iraque - "O estudo da "The Lancet" refere que a maioria das vítimas são mulheres e crianças, mortas no decurso de acções militares, e sublinha que "os ataques aéreos das forças da coligação são responsáveis pela maioria das mortes violentas". " Lembro-me perfeitamente de ver na BBC um ataque destes que causou polémica. De dia um avião dispara um míssel sobre um grupo de pessoas , dizendo que eram terroristas. Morreram todos, nenhum era terrorista.

   II - Metade sem subsídios - De todos os desempregados, cerca de 40% não recebem subsídio de desemprego, principalmente jovens à procura do primeiro emprego e desempregados de longa duração. A ausência de qualquer tipo de estratégia nesta área potencia a pobreza extrema e a precaridade laboral logo no início da carreira. Mais um problema estrutural a que ninguém atende.

   III - Serviço i Tunes chega finalmente a Portugal - 700 mil músicas, 0,99 cêntimos por canção.

   IV - Buttiglione desiste da candidatura a comissário europeu - Vêem como esta saída de cena não era "impossível"?

   V - BIN LADEN: «Há razões para repetir ataques» - Ao contrário do que já vi escrito, não me parece que esta declaração seja benéfica para Bush. Bin Laden é uma figura mediática e as suas críticas até são parecidas com as de...Michael Moore. Talvez por isso, "diplomatas norte-americanos tiveram conhecimento da comunicação de bin Laden antes de esta ter sido emitida na al-Jazeera e tentaram mesmo que ela não fosse mostrada no canal qatari".


Para reflectir:


Da América a Portugal: medo e liberdade, por Vicente Jorge Silva (29/10)

Julliard considera que “a introdução no interior de um país democrático de processos que relevam da propaganda totalitária, tal como a descreve Hannah Arendt, é aqui uma grande novidade. Ela permite explicar como um povo visceralmente identificado com as liberdades permanece globalmente insensível aos escândalos de Guantanamo ou de Abu Ghraib, ou aos abusos policiais que permitiu o Patriot Act.” Ora, esta situação foi em grande parte favorecida pela permeabilidade dos media à manipulação governamental, mesmo quando esta se revelava particularmente inverosímil e grosseira. Só muito tardiamente é que os media americanos acordaram para a deriva em que, entretanto, tinham embarcado. A extraordinária extensão do actual movimento de apoio a Kerry por parte da grande maioria dos jornais de referência dos Estados Unidos representa, aliás, uma espécie de acto de contrição pelos pecados cometidos.


Sem Contraditório, por João Paulo Guerra (29/10)

A opinião é livre e é a de cada um e o pluralismo faz-se pela amplitude do leque dos comentadores. No caso de uma audição no Parlamento, porém, o contraditório é um imperativo, tanto mais que as afirmações de Marcelo Rebelo e Sousa perante a Alta Autoridade para a Comunicação Social contradizem, em absoluto, as declarações do presidente da TVI em São Bento.
Mas a maioria tem razões que a razão não entende.
É a razão de um grupo político arvorada em razão de Estado e a verdade reduzida às balizas das “verdades convenientes”, como dizia o outro. A maioria não quer que do contraditório se apure a verdade dos factos mas apenas que circule uma visão de sentido único.

(830) Bom Dia


   
   Roy Lichtenstein

sexta-feira, outubro 29, 2004

(829) Docs x 2


   Hoje foi tarde para ir ao festival de documentários. Gostei muito da Cuturgest, onde nunca tinha estado. Sem dúvida que estes espaços artísticos mais aprimorados esteticamente , mais intimistas e confortáveis são amplificadores do prazer do espectador. Contudo, o pequeno auditório é um bocadinho...bom, pequeno demais. Acabei por ver "A Scuola", de Leonardo di Costanzo, divertido (mas ao mesmo tempo trágico) filme sobre uma escola pública em Itália, abordando o tema da indisciplina e do caos que atravessa o sistema público de educação naquele país. A ligação com o panorama nacional é imediata (escolas mal equipadas, professores mal formados ou sem personalidade/motivação, caos organizativo, desinteresse familiar, etc. etc.). O filme faz um bom trabalho em mostrar um quadro geral do problema, onde se percebe que o problema é estrutural e não culpa de uma das partes envolvidas.

   
   Happy Birthday Mr. Mograbi


   Seguidamente, vi um filme do polémico Avi Mograbi, "Happy Birthday Mr. Mograbi", que me desiludiu. A parte interessante foi mostrar como a história do conflito entre Israel e Palestina revolve à volta das "verdades" cegas que cada um dos lados promove, alicerçadas numa falta histórica de bom senso. A mistura destes planos com um dilema metafórico do personagem criado pelo realizador (um pouco à imagem de Michael Moore) é que já não foi tão eficaz. Além disso, o filme tem uma boa dose de manipulação e demasiado fechamento narrativo para aqueles que não estão fora da região. Mesmo assim, nota positiva. Contas feitas, "thumbs up" para o festival. Fiquei cheio de pena de não poder ver mais documentários, visto que o cartaz parece realmente de grande qualidade.

(828) A Guerra dos Mundos




   ...foi há 66 anos. [ouvir]

(827) Geografia dos direitos homossexuais

(826) Blogo Noticioso - 29/10/04


   I - Crise da Comissão Barroso ensombra assinatura da Constituição Europeia - 1950: "A Europa não será feita de uma só vez ou de acordo com um único plano. Será construída através de realizações concretas que criarão uma solidariedade de facto." - Rober Schumman. 2004: "A Constituição só entrará em vigor em 2007, quanto todos os países a ratificarem e não está prevista qualquer solução para o caso de um ou mais chumbos. "

   II - Redistribuição de poder e simplificação do texto - É vital conhecer as principais alterações da Consituição Europeia aprovada hoje. "link" para o documento aqui.

   III - O Inimigo Público passa a estar disponível em pdf para os assinantes do jornal - Os restantes podem ver a capa da semana:

         

   IV - Projecto do comboio de alta velocidade reduzido a metade - Não tenho conhecimentos ou informação para avaliar esta decisão. Contudo, a médio-longo prazo parece-me negativa. Afinal de contas, o resto da Europa já anda de comboio a outra velocidade, grande parte há muitos anos...De qualquer forma, todo este processo tresanda a mau planeamento estrutural. Fui frequentador da linha do Norte e sempre me interroguei para que servia a sua remodelação com o TGV. Para que serviram tantos estudos?

   V - Israel admite diálogo com os palestinianos - "Sempre dissemos que estávamos dispostos a negociar com uma direcção palestiniana que se comprometesse sinceramente a travar a efusão de sangue". Sem confiar em demasiada nos Israelitas, acontece o esperado: abre-se uma nova porta, só possível com o ocaso de Arafat.

   VI - S&P pode baixar «rating» de Portugal devido a debilidades orçamentais - "A agência de notação financeira alerta para o crescimento da despesa pública e diz que Portugal devia acelerar as reformas estruturais, em vez de utilizar medidas extraordinárias para conter o défice abaixo dos 3%." Aí está o problema de fazer orçamentos de curto prazo e com "visão eleitoralista".

   VI - Guterres na frente [duma sondagem presidencial] - Ou como a memória é curta...


Para reflectir:


Obituários apressados da clivagem esquerda-direita (1), por André Freire (Público, sem link)

"As orientações esquerda-direita formam-se através da socialização, sendo necessário que os indivíduos tenham contacto com as noções e forças associadas ao pluralismo ideológico. Durante os interregnos ditatoriais que atingiram Portugal e Espanha até aos anos 1970, reduzidos segmentos das populações tiveram contacto com tais noções e forças. Por isso, é de esperar que, numa fase inicial das suas vidas democráticas, estes países apresentem uma menor difusão de tais identidades entre as populações face à Europa Ocidental e que, com o aumento do tempo de socialização em ambiente democrático, tais identidades venham a crescer."


O Controlo dos "Media", por Amílcar Correia

O controlo do pensamento nas sociedades totalitárias é conseguido pela força e pela violência (através da proibição, do corte e da censura). Nas sociedades democráticas, esse controlo é exercido de forma mais pacífica e subliminar (através da saturação, do excesso de informação ou de meios eficazes de pressão). A limitação à posse de um "media", assim como a influência de anunciantes e fontes de importância institucional, é certamente um desses meios de controlo. A criação ou aquisição de um órgão de informação só é acessível a um grupo económico forte, o que dificulta a sobrevivência de publicações mais independentes e à margem da lógica de mercado. A concentração entre os "media" clássicos (jornais, televisões e rádios) e os sectores da cultura de massas e da comunicação tornou-se inevitável com a revolução digital, que desfez as fronteiras que separavam as três tradicionais formas de comunicação: som, escrita e imagem. Entre nós, a Portugal Telecom é o melhor exemplo dessa concentração.

Oportunidade perdida, por Martim Avillez Figueiredo

A decisão superior, recorde-se, saiu de uma reunião entre Santana Lopes, primeiro-ministro, e José Sócrates, candidato a primeiro-ministro. Resolveram eles que o mais importante é apressar a pergunta para saber, rapidamente, o que pensam os portugueses sobre o assunto. Isto é, o que têm a dizer sobre a possibilidade de viverem no contexto de um novo quadro constitucional. Fica de fora, portanto, a oportunidade de a reboque deste texto programático se olhar, de novo, para a Constituição Portuguesa.

A Frase:


Sei que vocês não aguentarão mais. Ouço-vos em toda a parte, por enquanto em surdina, em breve até que a voz vos doa. E por isso vos peço: ajudem a derrubar este governo. - Daniel Sampaio, o Mr. Hyde, n'A Capital (isto não é de hoje, mas como está a dar que falar, recupera-se).

(825) Diz-me, blog meu


   ....haverá servidor mais problemático que o meu?

(824) Bom Dia


   Não resisti a roubar este belíssimo poema ao Terras do Nunca:


Da intolerância

Primeiro eles vieram atrás dos comunistas
e eu não disse nada porque não era comunista.
Depois vieram atrás dos judeus
e eu não disse nada porque não era judeu.
Depois vieram atrás dos católicos
e eu não disse nada: sou protestante.
Aí vieram atrás de mim
e já não havia ninguém para falar em minha defesa.

Martin Niemöller

(823) Good Night Post


   
   Wayne Miller

(822) Pequena Dúvida


Victor Fernandez: "Não estou arrependido da gestão efectuada. Foi premeditada. Há jogadores bastante influentes, mas não podem fazer 50 ou 60 jogos por época, incluindo os das selecções. Entendo que com 12 ou 13 jogadores é impossível chegar à final de todas as competições".

Caro treinador do FCP: percebo a sua teoria sobre a "gestão". Mas ser eliminado da Taça de Portugal à primeira eliminatória e (provavelmente) eliminado da liga dos campeões na primeira fase de grupos não impossibilita chegar à final de todas (quase todas mesmo) as competições?

Ps. Para os realmente clubistas, seguir este link.

quinta-feira, outubro 28, 2004

(821) VISTO - The Wind




   
   (foto encontrada via Montanha Mágica)

(820) FINALMENTE


   ...uma notícia positiva no que concerne à legislação relacionada com orientação sexual. Segundo acabei de ouvir no Jornal do canal 2:, na nova versão do Código Penal "O crime de acto sexual de revelo com adolescente passa a referir-se a "actos homossexuais e heterossexuais" e não apenas a actos homossexuais.

(819) Yasser Arafat [act.]


...foi autorizado por Israel a sair da Cisjordânia para receber tratamentos. Não se deseja a morte a ninguém, mas o desaparecimento de Arafat seria um boa notícia para a Palestina. Incapaz de suster os atentados e criar condições para que o diálogo com Israel avance (não é que estes ajudem muito), está atolado num pântano de corrupção e morte. O imediato desmentido sobre o seu estado de saúde demonstra que é um ditador agarrado ao poder, num caso muito semelhante ao de Fidel na semana passada. Enfim, que sobreviva e se retire (ou seja retirado) da sua posição, intervindo a comunidade internacional no sentido de fomentar uma mais saudável organização política na Palestina.


Adenda: a propaganda é uma manta curta: Yasser Arafat vai ser hospitalizado em Paris

(818) Em Bragança


...um proprietário de bar de alterne foi condenado a sete anos de prisão. Esta notícia encaixaria como uma luva em "Noite Escura", o que diz bem a verosimilhança do filme. Voltando à realidade, parece claro que a lei é demasiado branda para com estes estabelecimentos (corrupção a nível local, fraqueza legislativa?) e há que agir, não numa perspectiva "moralizante", como a das patéticas "Mães de Bragança", mas sim no sentido de travar a emigração ilegal, prostituição sob coacção e outros delitos que ocorrem "a céu aberto".

(817) O circo "sprint" final



Angel Boligan

(816) O soldado


   ...veio ter comigo, de metralhadora na mão, e disse-me do alto do seu metro e noventa: "não pode estacionar aqui, este é um parque da embaixada". Enquanto falava, ia perdendo a rigidez na postura e, perante a minha aceitação imediata da sua "ordem" (e desilusão), acrescentou: "mas pode estacionar naqueles terrenos ali atrás, que eu não lhe coloco problemas." Naquele momento, o homem foi mais forte que a arma, que até parecia ter um cravo na ponta.

(815) Good Night Post



First Titan Close-Up [mais Cassini]

Uma pequena porção de noite
duas ou três estrelas
mais um fio de lua crescendo
e os teus lábios ajustam-se
nos meus.

Luísa Ribeiro [poesia SMS]

(814) VISTOS - Noite Escura / Madame Satã


   O último filme de João Canijo é, até ver, o melhor filme nacional do ano e provavelmente um dos melhores dos últimos anos. Criado a partir do mundo rural, decadente e retrógrado dos bares de alterne no Portugal profundo (mesmo que urbano), "Noite Escura" é uma portentosa viagem emocional. A linha de acção principal trata dum pagamento do dono do bar à máfia de leste com a entrega da filha mais nova para prostituição.


   

   A força deste filme deriva do encontro entre o registo quase documental de uma parte dos acontecimentos (toda a reconstituição depurada do ambiente do alterne) e uma forte linguagem cinematográfica (com laivos de tragédia grega), apoiada na densidade grotesca de cada uma das personagens e no primor dos enquadramentos e "close-ups" semi-surrealistas da câmara. Uma dimensão trágica amplifica a outra e quando damos por nós, já descemos ao abismo do filme, de onde sairemos com alívio quando as luzes subirem. Todo o ambiente é de sufoco (para isso muito contribui a decoração, o espaço e o ruído das conversas sobrepostas). As performances estão a um nível altíssimo (há uma grande empatia entre todos os actores), parecendo uma espécie de novela do horror, dados os actores em questão (o que não lhes retira credibilidade). Um filme absolutamente a não perder.


   Noite Escura, de João Canijo - ****1/2 estrelitas (excelente) - [Trailer]

---

   "Madame Satã" é uma pequena desilusão. Trata-se do retrato da vida de João Francisco dos Santos, transsexual e "malandro" do boémio bairro da Lapa, Rio de Janeiro nos anos 30. O filme apresenta-nos uma imagem demasiado simplista e fracturada da personagem, nunca sabendo bem por onde vai (pela violência, pela transsexualidade, pela perseguição?), e tenta criar um herói à força - moralizando-o e brutificando excessivamente os "inimigos". Tecnicamente também há algumas falhas (na iluminação, por exemplo) e muito pouca criatividade na realização. Em suma, material verdadeiramente sub-aproveitado, a ver apenas pelos interessados no tema.


   

   Madame Satã, de Karim Ainouz - ** estrelitas (razoável)


quarta-feira, outubro 27, 2004

(813) Q&A - I


O projecto: responder a 20 questões através de fotografias. Em vez de responder a tudo duma vez, como recomenda o site e fez o Dinis, vou publicar as minhas "foto-respostas" em grupos. Vamos a isso.



one. who am i?






two. who knows me best?



(812) A Constituição Europeia


   ...deverá ser aprovada em Portugal sem problemas, ao contrário do que acontece, por exemplo, em Inglaterra. Embora seja pró-europa, incomoda-me o unanimismo partidário à volta da questão, visto que se traduz na ausência de debate. Pior, esta constituição aparece aos cidadãos europeus como um facto consumado. É a democracia a funcionar ao contrário. Cada medida com este impacto deveria ser alvo de discussão pública em cada estado-membro. Após esse debate, cada país deveria propor alterações aos projectos, se fosse necessário. Para uma intervenção deste tipo, as leis deviam descer de Bruxelas para as diferentes esferas públicas e partidárias, através dum espaço mediático Europeu que tarda em aparecer.


Ps. No mesmo artigo refere-se a discussão à volta da limitação de mandatos. O PS defende oficialmente que essa limitação aconteça para os presidentes de câmara, os presidentes dos governos regionais e primeiro-ministro. Seria uma óptima medida, que naturalmente enfrenta a resistência da direita. Espero que siga em frente.

(811) Declarações de Marcelo Rebelo de Sousa [act.]




   Ai está a (esperada) resposta à minha questão - e agora? Será muito difícil para o governo recusar e não menos complicado descalçar a bota. Será que vão rolar as primeiras cabeças?

(809) Mr. Crisis



Luís Afonso

(808) Blogo Noticioso - 27/10/04 [act.]


   I - Fernando Lima demite-se da direcção do "Diário de Notícias"* - A demissão sucede-se à intervenção do Conselho de Redacção do jornal, que alertou para a "perda de qualidade editorial do DN, patente na elaboração de muitas primeiras páginas", motivadas por pressões políticas e desaguando em perca de leitores e prestígio. É realmente grave que os jornalistas se sentam pressionados a este ponto, mas não deixa de ser louvável a capacidade que tiveram de se mobilizar. Assim, caiu Fernando Lima, que nunca devia sequer ter entrado.

   II - Repartição dos Grupos no PE - Num momento em que o Parlamento Europeu ganhou um novo fôlego político, importa conhecer um pouco mais os partidos que o constituem.

   III - 40.000 Vítimas de Violação Estão a Morrer no Congo - Mais uma tragédia "diplomaticamente insignificante". Quando aparecem estas notícias, gostaria de saber o que está a fazer a ONU. É nestes momento que essa organização me desilude, parecendo estar completamente a reboque da agenda do "G8 & amigos".

   IV - Nobre Guedes vai lutar contra «poderosos interesses» - Spin, Spin, Spin. E demagogia, especialmente tendo em conta as várias dezenas de "poderosos interesses" que Nobre Guedes defendeu toda a vida.

   V - Sharon consegue aprovar plano histórico para Israel - É uma decisão importante, mas que desvia as atenções da verdadeira questão: a criação de um estado palestiniano. Esperemos que a comunidade internacional não se esqueça disso.

   VI - Marcelo diz que presidente da TVI não queria comentários «sistematicamente anti-governamentais» - E Marcelo rompe necessariamente o táctico silêncio e logo com uma intervenção duríssima para com Paes do Amaral. Ao mencionar o governo, fica o elo finalmente concluído e provado. E agora?


*O visado veio desmentir a notícia, mas duvido que isto fique por aqui...

Para Reflectir


Bolonha ou a regressão do ensino superior, por Fernando Rosas (sem link)

"Discussão merece a "filosofia de Bolonha", ou seja, a estratégia claramente assumidade de, através de reformas de fundo no ensino superior, prepará-lo para criar, em primeira linha, uma mão-de-obra homogénea, mas realmente nao especializada ou fracamente especializada, flexível (isto é, servindo um pouco para tudo), seguramente precária, barata, com escassos direitos laborais e só assim mais empregável (...).
A saber: [o governo] a ameça só vir a financiar licenciaturas de 3 anos e desvincula-se de qualquer financiamento público das futuras pós-graduações que, a ser assim, deveriam, em regra, passar a ser integralmente pagas pelo custo das propinas".

A Turquia na Europa, por Eduardo Lourenço (sem link)

"Como Príamo diante de diante de Aquiles, suplicantes, esperamos que o Islão moderado - todas as Turquias e todos os Egiptos - nos ajudem a recuperar a e honrar o cadáver de Heitor, quer dizer, a longa série de ocidentais que culpados de serem apenas ocidentais. Devemos agradecê-lo, mas não ter ilusões. Só uma revolução no interior do islão, como a que se processou na Europa durante séculos, oferecerá à Europa aquele espaço de diálogo e convívio que ela imagina como natural à humanidade."

Presidente deve presidir, por Sérgio Figueiredo

"Não é de agora, mas o presidente da Comissão Europeia continua a «fingir» que escolhe os seus comissários. Na verdade, limita-se a dizer «sim» ou «não» a cada um dos nomes, que cada Governo, de cada país, entende designar.
Foi assim que o senhor Buttiglione caiu no prato da sopa do doutor Barroso. Porque há um país que decidiu confiar os seus destinos a um desastre superior, que dá pelo nome de Sílvio Berlusconi."


Frase do dia:


"O “Contra-Informação” e o “Inimigo Público” têm desempenhado a função de Diário do Governo. A caricatura tem muito mais piada que o original. ". - João Paulo Guerra

(807) Bom Dia



James Evans

(806) Acordar [act.]


   ...com um sorriso nos lábios:



   Foi a derrota de uma forma arrogante e autista de fazer política, assim como de um quadro ideológico que já não faz sentido numa UE moderna. Como se esperava, Barroso, depois de pressionado, mostrou a sua verdadeira face, aquela que os portugueses conhecem bem. Apesar de muitos acusarem o PE de défice democrático, este mostrou estar acima quer da manipulação chantagista em nome das instituições (discurso que persiste - Durão ainda se acha a personificação da Europa, mesmo na hora da derrota) e das pressões religiosas e ultra-conservadoras. Infelizmente, o sorriso não é completo: é verdade que a UE precisa mais que nunca de uma comissão forte e competente, especialmente com as questões que estão na mesa (constituição, alargamento a 25, Turquia, Iraque, etc...). Porém, o processo já começou mal com a escolha deste Português, que tão mau trabalho fez por cá. Tivessem estado mais atentos a isso, e menos às negociatas de influência.

   Agora, Durão terá que reformular a sua equipa, enquanto que a actual manter-se-á em funções mais algum tempo (cerca de um mês). Certamente que o ex-PM terá aprendido alguma coisa, esperemos que a UE, que hoje cresceu democraticamente, também.


[a declaração de Barroso]

(805) Good Night Painting


   
   Kirchner

terça-feira, outubro 26, 2004

(804) ZAPPING


   ...Na rádio sempre foi mais produtivo. Já apanhei uma opinião de Mega Ferreira, um bocadinho de Bach, e agora, a "Crystal" dos New Order. Vou acabar de lanchar (...mmmm, here comes love/it's like honey/you can't buy it with money" mmm...)

(803) Sob Escuta


   Let it die - Feist

   

   Para descobrir: "Gatekeeper".
   Afinidades: Bebel Gilberto; Zero7, Norah Jones.



(802) Bálsamo contra as notícias do dia



A homossexualidade não é... por MG



Amor é... por SM


Mais aqui. Obrigado ao Cacaoccino pela dica.

(801) A Miséria


Nota: neste artigo de José Manuel Fernandes está contido todo um programa de hipocrisia moral que leva directamente ao incremento da pobreza, como se constata em Portugal. Sob uma capa de boas intenções cristãs, está lá tudo:

   a defesa da caridade como máxima da acção social (quando elogia a Caridade e Vida, que tem a misericórdia que o Estado não é capaz de dar.);

   a tentativa de limitar a ajuda social: "Há décadas a fio ali se constroem bairros sociais, se erguem escolas, se criam estruturas de apoio social, e o ciclo não se quebra. Porque ele está para lá do dinheiro de que se dispõe para distribuir.";

   a defesa de uma pobreza de carácter inata: "Porque ele [o ciclo da miséria] está enraizado nos hábitos de quem nunca soube viver de outra forma.";

   o moralismo asceta: "Porque é mais fácil o álcool para adormecer as dores. A violência doméstica para descarregar as iras. A droga para esquecer o mundo. E o desleixo e o desmazelo que não dão trabalho nem criam responsabilidades." Caso JMF não saiba, violência e bebida não são (mesmo nada) exclusivos das classes mais pobres. Muito menos o desleixo e irresponsabilidade.

   É fácil ver para onde vão todas estas "boas intenções": em vez de recuperar estruturalmente a pobreza, dar esmolas. Em vez de dar incentivos financeiros, cortá-los e financiar as instituições de "caridade". Em vez de resgatar os pobres para a sociedade, estigmatizá-los porque são intrinsecamente pobres (de espírito). E por fim, mandá-los trabalhar porque no fundo a malandrice é o pecado central. De preferência como criados das tias que lhes davam esmola ou das grandes empresas de exploração humana. Paulo Portas não diria melhor. Que Miséria, caro JMF!

(800) Blogo Noticioso - 26/10/04


   I - Mais 200 Euros por Aluno do Superior A meu ver, este tipo de títulos são incorrectos. De facto, o estado não gasta "por aluno", mas dota as universidades com um orçamento que tem em conta o número de alunos. Directamente, praticamente só o dinheiro da acção social vai para os alunos, visto que a massa salarial absorve quase tudo o resto. É preciso não esquecer que: há menos alunos, há (elevadas) propinas e houve uma desorçamentação das universidades nos anos anteriores. Por isso, na realidade, não há o investimento que se exigia nas universidades, em campos directamente sentidos pelos discentes, facto aliás, que os estudantes têm realçado.

   II - Clinton Sai em Ajuda de Kerry - "Clinton, 58 anos, foi operado ao coração há sete semanas e teve de limitar o seu envolvimento na campanha. O seu regresso foi recebido em apoteose por uma mole de apoiantes democratas." É curioso ver a adulação de um homem que foi quase crucificado nos media pela sua vida sexual. Realmente o mundo (leia-se os media") dá muitas voltas. A propósito disso, que tal ver isto?

   III - Na Recta Final, a Decisão Pertence a onze estados indecisos - Uma excelente análise de João Carlos Silva sobre as eleições americanas. Fique a perceber tudo sobre o complexo sistema norte-americano, como por exemplo: "(...) é um Colégio Eleitoral, e não o voto popular, que escolhe o Presidente. Tem 538 membros (cada estado elege representantes em proporção ao seu peso demográfico) (...)".

   IV - Beber chá com frequência estimula memória, segundo estudo - É agora que vou experimentar o (muito) chá que anda perdido nesta casa.

   V - Sarmento fascinado com os 100 dias de Governo - Mas o ministro não tinha largado os estupefacientes? E que história é esta das "fronteiras" para aqui e para ali? Será o "It is your destiny" da política?

   VI - Novo subsídio de desemprego aprovado em breve - Mais uma medida selvagem de Bagão Félix: "Este diploma (..) vai reduzir a duração da prestação aos mais jovens, com menos descontos, embora mantenha o valor da comparticipação." Faz isto algum sentido quando são os jovens daqueles com mais dificuldade (só superados pelos trabalhadores não qualificados de meia-idade) em arranjar emprego em condição de não-precaridade? Continua-se a hipotecar o futuro profissional de toda uma geração.

   VII - Vaticano rejeita casamentos homossexuais - Já há algum tempo que não tínhamos notícias dos instigadores principais do preconceito. Desta feita afirma-se: «o casamento é santo, enquanto as relações homossexuais são intrinsecamente desregradas e contrárias à lei moral natural»; «as legislações favoráveis às uniões homossexuais são contrárias à razão». Contra-natura e irracionais, é o que somos. Isto é que é respeitar "a dignidade dos homossexuais"? Ah, nós somos irracionais, mas, para o Vaticano, as relações servem assegurar "a procriação e a sobrevivência da espécie humana". Mais graves ainda são as palavras dos energúmenos que comentaram o texto, verdadeira destilação de racismo acéfalo.



Para reflectir:


Pior do Mesmo , por Vital Moreira

Ao observarmos a disputa presidencial nos Estados Unidos, não podemos deixar de nos perguntar o que seria da campanha eleitoral de Bush se não fosse o terrorismo internacional, a Al-Qaeda e o 11 de Março. Os discursos e as mensagens eleitorais do par Bush-Cheney giram sistematicamente à volta do terrorismo e das questões da segurança dos norte-americanos, que só a sua "guerra ao terror" poderia vencer. A campanha do actual hóspede da Casa Branca não passa de um exercício clássico de recurso a uma ameaça externa, propositadamente hiperbolizada, para criar um clima emocional de insegurança, de intimidação e de terror nos eleitores, de modo a arrastá-los para as soluções mais securitárias.


Ideias (Des)feitas, por Eduardo Prado Coelho

(...)que sucede às crianças educadas por um casal homossexual feminino? A nossa tendência leva-nos a imaginar consequências psicológicas nocivas. Ora, segundo o texto de Henny Bos, "Experience of parenthood, couple relationship, social suport anda child-rearing goals in planned lesbian mother families", publicado no vol. XLV deste ano do "Journal of Child Psychology and Psychiatry", não é nada disso o que acontece. As mães lésbicas mostram-se particularmente competentes e a estabilidade da sua vida social mantém-se. Isto resulta do facto de ter uma criança ser um acto energicamente voluntário. Segundo os inquéritos feitos, há apenas um traço que as distingue doutros casais, e que até nem é antipático: as crianças são educadas num clima de menor conformismo social, embora tenham uma educação sexual mais desenvolta e estejam mais habituadas a uma melhor partilha dos papéis parentais.


Nota: dito isto, caras Cacao, de que estão à espera? :)

(799) Good Night Painting*



Pablo Picasso - "Portrait of Henry David Kahnweiler"



* Picasso nasceu a 25 de Outubro de 1881.

Ps. E volto a relembrar: façam o vosso "picasso".

(798) A entrevista de Paula Rêgo


   ...no programa "Por Outro Lado" foi um quadro de Paula Rêgo: grotesca & genial.

   
   Paula Rêgo - "Dog Women"

segunda-feira, outubro 25, 2004

(797) Ah, Fadista Islandesa!

(796) Cliché, mas verdade


   Há fotos que valem por mil palavras:

   
   (foto retirada do Público de ontem. Infelizmente não retive o nome do fotógrafo)

(795) Já tenho Rádio


   Hoje fizemos uma mudanças cá em casa e aproveitei para ligar a antena da aparelhagem. Vejam a inversão dos tempos que correm: "power users" de internet e sem "acesso" radiofónico...Confesso que já tinha saudades do "Ritornello" (embora goste mais do acordar a dois - programa que ouvia nas minhas idas para a escola) na Antena2, dos programas de autor da 3 ("Mq3") ou das notícias da TSF. Além disso, estava com expectativa para finalmente poder escutar a Radar e outras rádios exclusivamente alfacinhas. De momento tenho programadas as seguintes emissoras: Radar, Antena2, Antena3, TSF, Oxigénio, Rádio Marginal, Antena1 e Rádio Nova. Mais sugestões?


Ps. Gostava especialmente de uma emissora de Jazz.

(794) A entrevista de Carlos Cruz


   ...ontem ao Público teve alguns aspectos interessantes. Primeiro, a maneira como Carlos Cruz (CC) promove o seu livro vendendo a imagem do seu sofrimento durante o tempo que passou detido (ver foto um, da capa). Será por dinheiro? Será para influenciar os juízes e a opinião pública (também já a pensar no pós-julgamento)? CC sabe que este processo já não é quase mais nada que estilhaços mediáticos e aproveita bem esse facto.


(foto1)

   Segundo, a abordagem (demasiado) simpática feita por quem estava a entrevistar. Em dado momento da entrevista, surge a seguinte questão: "(...)O autor, no fim, chega à conclusão de quem o tramou?" O uso da palavra "tramou", só por si, já implica uma adesão do entrevistador à opinião do entrevistado - neste caso, que CC é inocente. Em adição, a conjugação do verbo no modo indicativo e não no conjuntivo, colocando assim o enunciado no plano da realidade (de facto, alguém o tramou) e não da hipótese, o que seria mais correcto. Podem dizer-me que era táctica do entrevistador para obter declarações significativas de CC ou até que estava a parafrasear a opinião manifestada no livro, mas para um jornalista do Público não chega.

   Finalmente, as imagens também parecem transmitir uma imagem comovente de CC como um lutador como o sistema, um homem "normal" abatido e desgastado pela injustiça de outrém. Basta ver a foto dois, grande "close-up" de olhos suplicantes. Enfim, mais um episódio pouco dignificante (de ambos os lados) na exploração mediática de um caso judicial que envolve acusações tão graves (e por isso mesmo merecia outro decoro no seu tratamento).



(foto2)

(793) Jogos virtuais, economias reais


...
...Vi uma interessante reportagem na CNN sobre economias gigantes geradas à volta de jogos online. Neste tipo de jogos, geralmente RPGs ("role-playing games"), o jogador tem de pagar uma taxa inicial para pode jogar e uma mensalidade para continuar. Todo o tipo de itens habituais nestes jogos (roupas, poções, armas) são comprados! Existe até uma moeda virtual, que representa contas bem reais. Na empresa que vi (responsável pelo jogo Everquest), a facturação era de mais de um milhão de dólares por mês, com a maioria dos lucros a terem origem na Ásia. Não admira portanto que multinacionais como a Sony estejam envolvidas no processo. Os dois entrevistados eram os criadores do modelo de jogo, anteriores jogadores mundiais de topo, que confessaram estar num negócio arriscado. Logo no iní�cio, perderam numa noite 250 mil dólares de "material virtual" à conta de um "Hacker". Mais informações aqui.


(792) Good Night Quote


"All political thinking for years past has been vitiated in the same way. People can foresee the future only when it coincides with their own wishes, and the most grossly obvious facts can be ignored when they are unwelcome."


George Orwell

domingo, outubro 24, 2004

(791) Sob Escuta


   Tralha - Maria João e Mário Laginha

   

   Para descobrir: "Blue Horse".

   Nota: mais um fantástico disco de uma das mais criativas duplas nacionais. "Tralha" distancia-se do trabalho anterior - "Undercovers", para se assumir como um agregado dos diferentes sons que povoam a discografia do duo ("vide" "Mãos na Parede" vs. "Pequenininha"). E digam lá se em "Blue Horse" Maria João não soa por vezes como uma Björk lusitana e jazzística?

(790) Líderes...




(789) Para Reflectir


Liberdades e Regulação, por Augusto M. Seabra*

Importa dizer, retomando Bustamante, que não cabe andar tontamente a clamar contra a existência de grupos multimediáticos. Não há também real liberdade de imprensa sem capital que a sustente e a sua lógica económica tem que ser respeitada. Mas os limites do mercado permitem apenas um número escasso de grupos, com as distorções de oferta e eventualmente de emissão de opinião que acarreta. Há que definir limites e regulação.

Elogio do Eleitor Ignorante, por Pedro Ribeiro

Muitos republicanos acham que a guerra no Iraque é apoiada pela opinião pública mundial, que Saddam Hussein tinha laços directos com a Al-Qaeda, e que foram descobertas armas de destruição maciça no Iraque, entre outros erros. Mas os apoiantes de Kerry também se enganavam - por exemplo, metade achavam que o seu candidato quer cortar o orçamento do Pentágono (o que não é verdade).

Ariel Sharon, Chefe da Esquerda, por Jorge Almeida Fernandes

Em 1969, um jornalista israelita, Marc Hillel, escreveu um livro intitulado "Israel em perigo de paz": se desaparecer o inimigo árabe, Israel será dilacerado pelas suas contradições. Hoje, 35 anos depois e sem paz com os árabes, os israelitas estão às portas de um confronto interno. O espectro de "guerra civil" é cada vez mais evocado. É uma retórica, mas que se torna perigosa quando rabis se associam aos colonos e à extrema-direita apelando à desobediência dos soldados. Ou quando os serviços secretos levam a sério a possibilidade de um atentado contra Ariel Sharon, acusado de "traição". (...)
Mas já não é isto o que está em causa. Gaza tornou-se a linha de fractura entre as duas faces de Israel. Este não é um Estado "normal": não é laico nem teocrático. É uma dupla sociedade, com uma maioria laica e uma minoria ultra-ortodoxa que vivem de costas voltadas e não partilham os mesmos valores. A imensa ironia da história que é a aliança da esquerda com Sharon deve-se a um contexto preciso. A recente fusão de ultranacionalistas, colonos e religiosos está a criar uma explosiva força minoritária decidida a impor-se pela força contra as instituições democráticas. Eles agem em nome de Deus. Não só negam o "outro", o árabe, e defendem o apartheid, como fazem da "terra sagrada" o valor supremo. A democracia israelita está refém dos seus "loucos de deus".


* Augusto M. Seabra, cuja frontalidade com consistência admiro, foi influente no meu percurso na blogsfera. Foi ao ler um artigo seu que descobri os blogs de cultura Janela Indiscreta e Montanha Mágica, que ainda hoje visito diariamente e que vieram a moldar o próprio conteúdo deste blog. Como Augusto M. Seabra passou recentemente pela caixa de comentários aqui do burgo, aproveito para lhe agradecer publicamente o contributo. Ah, delicioso o pormenor da palavra "infelizmente" na legenda da citação de Santana. Às vezes uma palavra vale por muitas.

(788) Umbigos trocados


   Cá em casa partilhamos todos a mesma aplicação para fazer "posts", o w.bloggar. Como aquilo só aceita uma conta de cada vez, às vezes não mudamos e publicamos textos no blog ao lado (neste caso, é literalmente ao lado). Eu já "postei" no Vida On/Off e vice-versa. Também já "postei" no Single White Male. E vice-versa. Não sei se algum de vocês "apanhou" um desses "posts" refugiados. É divertido. Por isso já sabem: estejam atentos, que os nossos "posts" podem surgir a qualquer momento em qualquer lado. Ou quase.

(787) Cine & Sofá


   Hollywood - Love and Death, de Woodie Allen - 21:00 (1975 - 85')

   Enredo: "Woody Allen plays a Russian {Woody Allen Character} who is caught up in the Napoleonic invasion of his country..."




   2: - The Curse of The Jade Scorpion, de Woodie Allen - 23:30 (2001 - 102')

   Enredo: "An insurance investigator and an efficency expert who hate each other are both hypnotized by a crooked hypnotist with a jade scorpion into stealing jewels".

(786) EU VOU





   Abaixo estão os filmes que me chamaram a atenção pela descrição e temática. Contudo, não conheço os realizadores, pelo que pedia as vossas sugestões. Aqui fica a notícia, a programação e como lá chegar. Os bilhetes custam entre 1,5€e 2€.

a scuola
60'. Itália. 2003, real. Leonardo di Costanzo
Durante um ano, Leonardo de Costanzo filmou a vida de estudantes e professores nas salas de aula de uma escola secundária da periferia de Nápoles. Aqui, a tarefa dos professores não é apenas ensinar, mas acima de tudo educar, o que é muito mais difícil, e pouco reconhecido pela sociedade.

---

je t'aime... moi non plus
80'. França. 2004. real, Maria de Medeiros
Durante o festival de Cannes, Maria de Medeiros entrevista realizadores: Almodóvar, Cronenberg, Wenders, Oliveira entre muitos outros. Mas também fala com alguns dos nomes mais importantes da crítica internacional. Todos contam episódios e anedotas de uma velha relação passional entre críticos e cineastas, com cenas de amor e ódio.

---

balseros
120'. Espanha 2002, real. Carles Bosch e Josep Mª Domènech
Milhares de cubanos arriscaram a vida em improvisadas embarcações para chegar à costa dos Estados Unidos. "Balseros" mostra quais eram as motivações iniciais de um largo grupo de personagens e como se transformaram ao longo de cinco anos de vida norte americana. Nomeado para o Oscar de Melhor Documentário em 2003.

---

de niños
188'. Espanha. 2003, real. Joaquín Jordá.
Partindo de um caso que agitou a opinião pública espanhola, este filme é simultaneamente um estudo sobre a pedofilia, uma investigação sobre os interesses especulativos por trás da reconversão de um bairro pobre de Barcelona, uma análise da cobertura jornalística de um tema "escandaloso" (a pedofilia) e uma descrição do sistema judicial espanhol.
---

happy birthday, Mr. Mograbi
77'. Israel. 1999 real, Avi Mograbi
Um realizador é perseguido por produtores israelitas e palestinianos que lhe encomendam filmes, esperando dele versões opostas de uma mesma realidade. A tragédia quotidiana contada com distância e auto-ironia.

(785) Páginas Soltas


   "- Suponho que consegues amaciar qualquer nervura e mossa, não importa quão duro é o metal, ferreiro?
   - Sim senhor, penso que posso. Todas as nervuras e mosas, com uma excepção.
   - Olha para aqui então - disse Ahab, aproximando-se cheio de cólera e apoiando ambas as mãos em Perth - olha para aqui, consegues amaciar uma ruga como esta esta ferreiro? - Passando uma mão ao longo da sua espessa sobrancelha - Se tu o conseguisses, ferreiro, de bom grado eu colocaria a minha cabeça na tua bigorna e sentiria o mais pesado martelo a bater entre os meus olhos. Responde! Podes amaciar esta cicatriz?
    - É essa a tal, senhor. Então não tinha dito que podia amaciar todas as nervuras e mossas, excepto uma?


Herman Melville, Moby Dick, p. 690


(784) Good Night Post


   
    Almandrade (obrigado ao UD pela dica)

(783) VISTO - Super Size Me


O que é uma caloria?


   Se estão com problemas em responder a esta questão, "Super Size Me" é um filme que devem ver. Durante um mês, o realizador (!) deste documentário de entretenimento (categoria emergente?) comeu apenas comida do McDonalds. Os resultados, obviamente, foram catastróficos. Além de assistirmos à célere transformação dos músculos deste homem em banhas, o filme propõe-nos uma análise das agressivas técnicas de mercado utilizadas pelas grandes companhias de "fast-food". O resultado: quase "ridendo castigat mores".



   Esta é a parte mais interessante do filme. A demonstração da capacidade destas corporações penetrarem no quotidiano e imaginário das crianças e adolescentes e, juntamente com baixos preços, literalmente viciarem-nos numa dieta errada para a vida toda. Este é daquele tipo de filmes que deveriam passar nas escolas e nas televisões públicas. Como filme, não é lá grande fogacho. Tem o inédito do voluntarismo do realizador (provavelmente uma das razões para a vitória em Sundance), mas pouco mais. Há uma intermitente intromissão de processos do "reality-show" no documentário com efeitos duvidosos (como as declarações da namorada), há gore gratuito (uma operação ao estomâgo acompanhada de música clássica) e alguma incapacidade de prolongar o objecto de estudo sem recorrer ao exagero da situação (é tudo um bocadinho empolado). Mas a verdade é que o problema da má alimentação (e isso significa mais que dietas de "fast-food") é cada vez mais grave e assume contornos de perigo número 1 para a saúde pública. Relembro o conselho dos nutricionistas: podem comer "fast-food" uma vez por mês. Se fizerem exercício regular, talvez duas.

Super Size Me, de Morgan Spurlock - *** estrelitas (bom)

Ps. Alimentação (e vida) mais saudável na Blogosfera aqui.

sábado, outubro 23, 2004

(781) Maria Manuel Leitão Marques


   ...considera que os estudantes universitários não podem protestar impedindo o normal funcionamento das instituições da sua universidade, nos quais estão aliás inseridos. Pacheco Pereira concorda. No essencial estamos de acordo (é um facto que os estudantes escolhem uma maneira pouco cívica de protesto), mas queria alertar para o perigo de se despachar assim tão facilmente os protestos dos estudantes. É que destes discursos pode-se inferir que os estudantes nunca devem protestar, a não ser que o façam de forma inócua. MMLM sabe melhor que eu que a luta por aquilo em que acreditamos é fundamental para mudar o estado das coisas erradas, e como muitas vezes essa luta é agressiva.

   Além disto, nem uma palavra é dita acerca de dois importantes aspectos da questão: nos recentes confrontos policiais, houve ou não exagero na carga policial? Segundo, o que fizeram o reitor e restantes responsáveis universitários para evitar os confrontos? Sobre estas questões é que eu gostaria que Pacheco Pereira e MMLM se pronunciassem. Porque dizer que não espanta que o BE e PCP tenham pedido um voto de protesto pela actuação (melhor: pelo exagero da actuação) da polícia, segue naquela acrítica linha de pensamento que defende que o BE é totalmente composto por radicais irresponsáveis. Muitos votos ainda perderão o PS e a direita à custa deste argumento.

   Realmente o 25 de Abril já foi há muito tempo. Será que MMLM já se esqueceu do que é protestar?

(780) Cine & Sofá


   Hollywood - Ran, os Senhores da Guerra, de Akira Kurosawa - 21:00 (1985 - 160')





   Enredo: "This is a Japanese adaptation of Shakespeare's King Lear. An aging warlord decides to split his kingdom between his three sons, who will live in three separate castles. The two eldest sons are quite happy, but the youngest thinks his father has gone mad, and predicts that it won't be long until the two older brothers are fighting with each other."

(779) Blogo Noticioso - 23/10/04


   I - Bagão Félix Admite Ter Trocado Défice por Dívida Pública - Então o grande pecado do PS era endividar o país? Pois...

   II - Norte do Uganda Tão Mau como Darfur - "Nos últimos 18 anos, a crise matou 100 mil pessoas e causou um enorme contingente de fugitivos. Mais de 20 mil crianças foram levadas pela guerrilha e obrigadas a combater, ou usadas como escravos sexuais." Mais uma tragédia que ninguém vê ou resolve.

   III - Maços de tabaco da UE terão imagens de cadáveres e tumores - Creio que estas medidas são mais eficazes que a proibição. O poder da imagem é imenso e sedutor. Alguns terão a força para não ver (leia-se esconder), mas para muitos pode ser o estímulo dissuador certo ou o primeiro passo para o equilíbrio ou fim do consumo de tabaco.

         

   IV - Edições ASA comemoram 45.º aniversário de Astérix - Haverá uma série de reedições, incluindo um inédito. É sem dúvida uma boa oportunidade para reler algumas aventuras do gaulês.

   V - Comissão de Prodi prepara-se para rejeição da equipa de Durão - Creio que tal não acontecerá, tendo em conta as jogadas de bastidores que neste preciso momento se estarão a realizar. Porém, a concretizar-se, seria sem dúvida uma vitória sobretudo contra o estilo autista e arrogante de fazer política preconizado por Barroso e contra a intolerância que grassa no proposto executivo do ex-pm.

   VI - "Passos Manuel" volta com cinema alternativo - Uma boa notícia para o Porto, visto que parece tratar-se dum vasto leque de alternativas de qualidade ao cinema comercial, acompanhado da revitalização e qualificação do espaço em si.

   VII - Governo admite aplicar princípio utilizador-pagador nos hospitais - Apesar de todas as críticas, o desmantelamento do SNS avança. Resta-nos Sampaio para tentar fazer algo. O que é bastante deprimente diga-se. Enfim, até a depressão vai ficar mais cara.

   VIII - Captain Kirk signs up for real life space travel - Ou quando o "Star Trek" começa a passar de ficção a realidade.


Para reflectir:


E Os Jornalistas, Que Pensam Disto?, por Augusto Santos Silva

Há, de facto, uma constelação de estrelas no firmamento político português que é o subproduto do desenvolvimento de um sistema mediático que quebrou regras de ouro da profissão jornalística e das empresas de comunicação social: regras como a separação entre a notícia e a opinião e a distinção da informação face à publicidade e ao entretenimento, ou como a independência em relação aos poderes e seus meios de propaganda. E, ao mesmo tempo que as quebrava, impôs a precarização da situação laboral dos profissionais, vulnerabilizando-os, sabotou os instrumentos de participação e controlo (como os conselhos de redacção, os conselhos de opinião e as associações de classe) e cultivou alegremente um espírito "light" que endeusa a aparência e despreza a substância, e prefere a adulação da personagem na moda e a reprodução preguiçosa dos seus ditos de espírito, ao trabalho esforçado de inquirir, confirmar e informar.

O regresso do pesadelo, por Mário Bettencourt Resendes

Falta menos de um mês para o início do julgamento do chamado «Processo Casa Pia»(...)
Depois de alguns meses em que uma série de acontecimentos - uns bem mais felizes do que outros - remeteram a polémica da pedofilia para uma linha recuada da actualidade - e, portanto, para mais longe das prioridades mediáticas -, o pesadelo vai regressar em força ao nosso quotidiano, até porque ficou claro que todas as partes envolvidas consideram os media como um dos terrenos privilegiados de combate.


Frase do dia


"I do not say that homosexual relations are an abomination - the Bible says so" - Alan Keys - candidato a senador dos EUA.

Nota: impõe-se leis que responsabilizem as pessoas por tiradas discriminatórias quanto à orientação sexual. Alguém imagina este republicano sair impune se a sua frase se dirigisse a outras minorias?

(778) Bom Dia



© Tom Paiva

(777) P O R T F O L I O - V


   

sexta-feira, outubro 22, 2004

(776) O Index Provinciano




   Parece que o Index voltou. Parece que o SIS (Sistema de Informações e Segurança) anda a investigar o autor Possidónio Cachapa . A justificação (?) é que um dos livros do autor, "Materna Doçura", apresentaria a pedofilia "uma luz favorável", tal como, pasme-se, "A Montanha Mágica" de Thomas Mann. Se a investigação é real, é muito preocupante que o SIS ande a investigar livros e autores. Ainda mais aberrantes são os argumentos utilizados, demonstrando uma descomunal ignorância bacoca.

   Eu tenho o prazer de ter lido um bom trabalho do escritor (ver capa abaixo), que recomendo. Aproveito para lhe manifestar a minha indignação, assim como transmitir-lhe palavras de incentivo nestas horas de obscurantismo. E da próxima vez que vir à venda o livro "Materna Doçura", compro-o.


(775) Prioridades


   Respondendo a José Manuel Fernandes na mesma moeda, digo-lhe: é claro o ponto em que discordamos. JMF acha que o combate à discriminação e à intolerância institucionalizada não são uma prioridade na UE. Eu acho.

(774) Blogo Noticioso - 22/10/04


   I - Marques Mendes e Manuela Ferreira Leite ausentes do congresso do PSD - Mais uma vez emerge a diferença entre o que se passou no PS e o que se está a passar no PSD. Ao não levantarem as suas vozes contra Santana, os altos dirigentes do PSD que discordam da sua actuação, estão a consolidar o unimismo no seio do partido e a permitir que o congresso seja apenas mais um acto de propaganda.

   II - Professores Acham Sugestão de Santana "desconcertante" - Até ia dizer que era a "gaffe da semana", mas ao ritmo a que surgem, acho que terei dizer que foi a do dia...

   III - Trabalhadores [da RTP] receiam Instrumentalização - Os funcionários da RTP consideram as declarações de Morais Sarmento "uma lamentável forma de pressão política". Melhor que ninguém, eles sabem o que a casa vai gastando.

   IV - Questão do Défice Dominou Reunião dos Ministros das Finanças da UE - Bruxelas prevê que Portugal deverá ter em 2005 um défice superior a 3%. Lembram-se deste governo acusar o PS de em tempos de crescimento não conter a despesa? Não só vão fazer o mesmo, mas, como se vê pelo discurso de Santana Lopes, as razões são meramente eleitoralistas. Aindam os vamos ouvir dizer que o défice (agora em vez da contenção) é devido à conjuntura internacional.

   V - Hora muda na madrugada do dia 31 de Outubro - Eu sei que há muitos leitores do blog que, como eu, gostam da temporada do frio que vai chegado. Ou não é o frio que renova o prazer de sentir calor? Mas do escuro - o escuro da mudança de hora - eu não gosto.

   VI - Clara Ferreia Alves integra painel de "O eixo do mal" - Este programa da Sic Notícias (estreia em Novembro) promete discutir a "actualidade política, social e cultural do país". Clara Ferreira Alves será acompanhada por Pedro Mexia e por Nuno Júdice. Não terá a qualidade da "Quadratura do Círculo", mas é (mais uma) boa iniciativa a ter em conta, nomeadamente para públicos mais jovens.

   VII - Parlamento [Russo] ratificou Quioto - Uma excelente notícia, porque torna possível que este acordo internacional em prol do ambiente possa finalmente arrancar. E que não demore, senão nunca mais começamos a inverter isto.

Para reflectir


Sementes de Violência, por Nuno Pacheco

(...) segundo um relatório da Human Rights Watch, os novos recrutas do exército russo são frequentemente sujeitos a violentos abusos físicos e morais para "endurecerem" como soldados. Uns morrem, outros fogem, alguns suicidam-se. Mas a maioria é posta nas zonas mais rebeldes às imposições do império, para praticar noutros (muitas vezes civis apenas "culpados" de serem suspeitos) as sevícias que sofreram na sua iniciação militar. Assim se eterniza o ciclo de terror mútuo referido por Fraser há cem anos. As mesmas sementes de ódio para uma mesma colheita de violência.

A Estratégia da Aranha, por Miguel Sousa Tavares

Tudo coincide e não há que ter ilusões. O processo está em curso, a intimidação e o medo estão instalados e o objectivo claro é garantir a reeleição deste Governo, não pelos seus méritos, mas pela propaganda maciça, e com menos "contraditório" quanto possível dos seus supostos ou reais méritos. É a "italianização" da vida política portuguesa, umas vezes feita subtilmente, outras vezes com a falta de jeito que caracteriza os ministros Gomes da Silva ou Morais Sarmento. A teia vai-se tecendo e não dispensa coisas tão rasteiras como o suborno de jornalistas e de chefias, os "avisos de amigos" ou as soluções finais de silenciamento e afastamento, quando nada mais resulta. Acreditem: sei do que falo, conheço esta gente e os seus métodos, sei o que os move e aquilo de que são capazes.

Portugal a Subir, por João Paulo Guerra

Alguém se recorda em que ponto estava a história do «Apito Dourado» quando deixou de se falar no assunto?
E como vai o caso do ex-ministro que tinha um sobrinho e uma conta na Suiça? E não há novas sobre o caso do fornecimento de fardas militares para o exército polaco? E o caso das ligações perigosas entre Fátima Felgueiras e um conselheiro do Supremo Tribunal Administrativo?
O actual Procurador-geral da República tomou posse elegendo como prioridade a luta contra o crime económico, por ter constatado que «o desejo de enriquecer rapidamente, e por todos os meios, atingiu todos os estratos sociais». Mas isso foi no Outono de 2000. Onde isso já vai. Depois disso, várias pastas e cargos mudaram de mãos e a responsável pelo combate ao crime económico e financeiro foi mandada para casa. Entretanto, de ano para ano, Portugal vai descendo na tabela da Transparência.

(773) Sob Escuta


   Leave Luck to Heaven - Matthew Dear

   

   Afinidades: Basement Jaxx; Superpitcher.

(772) Ver o terror


   Através do Ponto Media, descobri este artigo que discute se as páginas de informação da Internet devem mostrar (ou dar a hipótese de ver) as imagens das execuções por terroristas. A conclusão a que se chega parece-me razoável. Talvez seja demasiado para uma televisão generalista, visto que o telespectador tem menos capacidade de escolher o visionamento e também devido ao grande espectro de público. Já um jornal ou "website" permitem total escolha ao leitor. O princípio defendido é que a escolha de ver ou não este pedaço de informação deve ser deixada para o público, e não aos editores.

   Dito isto, este link abre um video com a execução de Kenneth Bigley, que contém cenas de extrema violência.

(771) Helga Deen


   Graças ao Para lá de Bagdade descobri esta notícia: Diary gives haunting view of Holocaust. Foi feita a rara descoberta do diário de uma prisioneira judia. Desta feita trata-se de Helga Deen, uma jovem de 18 anos. Foi escrito em 1943, já perto do final da guerra. Apesar disso, não sobreviveu. A última entrada do seu diário é a seguinte:

"Packing, this morning a child dying which upset me completely. Another transport and this time we will be on it"

(770) Bom Dia


Se houvesse degraus na terra...

Se houvesse degraus na terra e tivesse anéis o céu,
eu subiria os degraus e aos anéis me prenderia.
No céu podia tecer uma nuvem toda negra.
E que nevasse, e chovesse, e houvesse luz nas montanhas,
e à porta do meu amor o ouro se acumulasse.

Beijei uma boca vermelha e a minha boca tingiu-se,
levei um lenço à boca e o lenço fez-se vermelho.
Fui lavá-lo na ribeira e a água tornou-se rubra,
e a fímbria do mar, e o meio do mar,
e vermelhas se volveram as asas da águia
que desceu para beber,
e metade do sol e a lua inteira se tornaram vermelhas.

Maldito seja quem atirou uma maçã para o outro mundo.
Uma maçã, uma mantilha de ouro e uma espada de prata.
Correram os rapazes à procura da espada,
e as raparigas correram à procura da mantilha,
e correram, correram as crianças à procura da maçã.

Herberto Hélder

quinta-feira, outubro 21, 2004

(769) Tu tens o comando, mas és tu que mandas?


(768) Para Reflectir


Esquerda/direita (2), José Pacheco Pereira

o "centro" não é o lugar de intersecção da esquerda com a direita e vice-versa. Escrevo sobre isto há muito tempo e nunca o pensei assim, nem penso que haja qualquer utilidade em acrescentar um "centro" à dicotomia. A três é igual a dois, porque não é esse o problema. Há quase 20 anos, escrevi que o "novo centro" que estava a aparecer em Portugal entre 1985-7 não era um lugar politicamente geométrico, uma espécie de encarnação do "bloco central", mas sim o efeito da emergência de um novo tipo de eleitorado, que vota pelos resultados e pela percepção do mérito umas vezes no PS outra no PSD. Foi a emergência desse eleitorado que subverteu um sistema eleitoral destinado a obrigar a coligações, permitindo as maiorias absolutas, a de Cavaco e aquela que Guterres esteve no limiar de alcançar. Quer a bipolarização quer a alternância devem muito a esse "novo centro".


As Televisões e a Cabala do Ministro , por Luciano Alvarez

É natural que, face a este desmentido, a dúvida se instalasse na cabeça dos portugueses. Tinha ou não o ministro sugerido existência de tal cabala? As dúvidas ficaram totalmente esclarecidas à hora dos telejornais. As televisões mostraram uma peça jornalística sobre a ida de Gomes de Silva à Alta-Autoridade, incluindo nomeadamente da parte em que sugeria a tal cabala. Depois revelaram o desmentido do ministro e, por fim, repetiram na integra a parte do diálogo que manteve com os membros da AACS sobre a cabala. E, para que não restassem dúvidas, até incluíram legendas.
De uma forma isenta e clara provaram que, de facto, Gomes da Silva tinha sugerido a existência da cabala. A isto chama-se jornalismo. O ministro, que não se apresentou a pedir desculpa aos portugueses por os ter tentado enganar com o seu desmentido, chamar-lhe-á, por certo, uma cabala.
Site Meter
A minha fotografia
Nome:
Localização: Portugal
  • Livro de Reclamações:

  • nunopinho(AT)vianw.pt

    (Substituir (AT) por @)